Cerclagem Uterina Laparoscópica – Incopetenencia Istmo-cervical

A perda de gestação no segundo trimestre tem como grande causa a incompetência istmo-cervical, que seria uma abertura e encurtamento do colo sem estar em trabalho de parto acarretando a ruptura prematura de membrana e posterior infecção ascendente e muitas vezes devido ao parto prematuro perda da gestação. Vários são os motivos que levam a incompetência do colo: desde malformação congênita do colo, deficiência de elastia e colágeno, ou adquiridos por trauma local como dilatação por parto anterior a cirurgias no colo (cone, traquelectomia, caf).

O encurtamento do colo uterino pode ser visto nas ultrassonografias de rotina, geralmente nesta fase são tentados preçários ou cerclagem via vaginal. A Cerclagem uterina por via abdominal laparoscópica é uma boa opção no insucesso de uma dessas técnicas em gravidez anterior. A melhor época para realização da cerclagem uterina laparoscópica seria antes de engravidar, ou no caso de já estar grávida no período entre a 12ª e 16ª semana de gestação. A grande vantagem de se fazer antes de engravidar, é poder fazer uma cerclagem calibrada com vela de hegar no. 8 e manipulação uterina, bem como menor risco de sangramento e a não exposição a trabalho de parto prematuro por algum fator traumático desencadeante. A cerclagem pela via abdominal laparoscópica tem algumas vantagens em relação a via vaginal, a fita para cerclagem por via abdominal é manipulada em ambiente asséptico, diferente da via vaginal que pode levar a uma colonização desta. Assim a paciente é liberada para engravidar de modo natural logo após o período de recuperação do procedimento, geralmente 1 mês. A cerclagem uterina por via abdominal também pode ser realizada por cirurgia robótica, o único fator que dificulta esta via é o custo mais elevado que a laparoscopia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *