HPV

O HPV é um vírus que pode infectar o ser humano com transmissão principalmente sexual, mas também por contato com objetos contaminados (como roupa íntima, toalha). A maior chance de infecção está diretamente ligada à multiplicidade de parceiros, bem como à precocidade no início da atividade sexual.

O vírus HPV possui várias cepas (cerca de 100 tipos identificados), cada cepa apresenta um potencial maior ou menor de agressividade de maneira a evoluir para o câncer. Algumas cepas ao entrar em contato com o ser humano fazem com que este desenvolva anticorpos e elimine o vírus sem nem desenvolver sintomas ou lesões. Outras cepas de baixa virulência, dependendo das condições de defesa do ser humano, desenvolvem infecções transitórias que podem ser sintomáticas (verrugas) ou subclínicas (são visíveis durante o exame com lente de aumento e de patologia, porém também não causam queixa por parte da paciente). Existem cepas de alto risco para progressão para o câncer, e que terão sua progressão facilitada na coexistência na paciente de outros fatores de risco, como: desnutrição, imunossupressão (HIV, diabete, uso de tratamento com corticóide, transplantados), cigarro, etilismo e uso de anticoncepcional oral.

No sexo masculino (homem), em geral, a infecção é assintomática de maneira que o mesmo não procura auxílio e passa involuntariamente a ser um transmissor da infecção. Alguns desenvolvem verrugas (lesões elevadas na pele que recobrem a glande peniana que assustam o paciente), e que na verdade representam uma infecção por uma cepa que normalmente não evolui para o câncer. Uma minoria de casos de câncer de orofaringe e anal estão ligados a infecção pelo HPV no homem, geralmente em pacientes mais jovens sem fatores de risco para este tipo de câncer (fumo, etilismo, desnutrição).

Na mulher, o contato com o HPV pode trazer o risco de desenvolvimento de câncer de colo de útero, vagina, vulva e ânus que tem sua progressão em função da carga de virulência da cepa somada a cofatores de risco já citados. Normalmente, a infecção na mulher não vira um câncer em dias ou poucos meses. Ela passa por fases, e todas estas fases geram alterações que podem ser detectadas no exame preventivo do colo de útero, independentemente da existência de queixa pela mulher, daí a extrema importância de um exame simples, rápido e barato em prevenir a progressão para o segundo câncer mais comum na mulher no mundo (colo uterino).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *